ERP: Ciclo de vida e fatores críticos de sucesso.

ERP: Ciclo de vida e fatores críticos de sucesso.

Dando continuidade na jornada de conteúdo sobre ERP, só relembrando que no primeiro artigo desta série escrevi sobre a história e evolução,  na sequencia trouxe algumas informações sobre o mercado nacional atual, onde se destaca a empresa brasileira Totvs (que possui diversos ERPs, dentre elas o Datasul, Protheus e RM) e hoje vou trazer um pouco de conteúdo sobre Ciclo de vida e fatores críticos de sucesso.

A adoção de sistema do tipo ERP é um processo longo e, geralmente, composto de várias etapas. A primeira etapa consiste na seleção e aquisição do ERP a ser utilizado na organização. A segunda etapa refere-se à implantação do sistema, quando serão feitas as parametrizações, cadastros, adaptações necessárias no software, readequação dos processos da organização e capacitação dos usuários. Em geral, nessa etapa ocorre um projeto de implantação do ERP, quando irão trabalhar em conjunto a organização e a consultoria escolhida para execução da implantação. A terceira compreende a fase de utilização do sistema rumo à estabilização do uso, quando os problemas decorrentes da implantação serão sanados e os usuários adaptados às novas rotinas. Já a quarta etapa consiste no processo de estabilização do sistema, no qual são buscados o refinamento dos processos implantados, otimização das rotinas e a obtenção de informações gerenciais confiáveis. Por fim, na quinta e última etapa, encontra-se a busca por melhorias, quando a organização – em conjunto com alguma empresa de consultoria, ou não -, irá buscar atingir o máximo aproveitamento do sistema, a fim de atender a todas as demandas possíveis suportadas pelo ERP.

Importância do ERP

Durante o processo evolutivo dos sistemas de gestão, o sistema ERP percorreu seu caminho de maneira ampla e rápida, permitindo abranger um conjunto de diferentes portes e naturezas de empresas. Os riscos e a insegurança com o bug do milênio e, mais recentemente no caso brasileiro, a adoção do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) contribuíram para inflar esse mercado. No contexto brasileiro, a partir de 2006, muitas pequenas e médias empresas tiveram de aprimorar sua infraestrutura tecnológica e aderir ao ERP por conta da obrigatoriedade crescente da nota fiscal eletrônica (NF-e) que não era suportada por sistemas caseiros e obsoletos.

O Governo brasileiro vem exigindo cada vez mais informações das organizações, como no caso mais recente, com o eSocial e LGPD[1].O eSocial integrado ao sistema ERP irá buscar informações em vários momentos (eventos diários, mensais e anuais), principalmente, mas não somente, da área de Recursos Humanos. A LGPD veio para trabalhar em diversas frentes de atuação, com destaque para o RH, TI e jurídico. Não obstante as demais áreas da empresa como financeiro; contábil; fiscal; comercial também serão afetadas.

Às empresas, cabe a responsabilidade de rever seus processos e implementar os sistemas de controle, integração e geração de informações em linha com as exigências do Governo. E essa não é uma responsabilidade restrita às áreas de RH e TI, mas a todos os departamentos operativos e de liderança. As empresas deverão utilizar-se de uma solução tecnológica para geração dos arquivos eletrônicos, mensageria e consistência prévia dos dados para transmissão, o que faz com que o mercado de ERP se movimente obrigatoriamente para atender seus clientes. Tais particularidades tornam ainda mais dinâmico o mercado brasileiro de ERP.

[1] eSocial é um projeto do Governo Federal em ação conjunta de diversos órgãos e entidades do governo federal. LGPD é a Lei Geral de Proteção de Dados que entrou em vigor no 2º semestre de 2020.

Fatores Críticos de Sucesso de implantação de sistema ERP

Na tabela a seguir, são listados vários Fatores Críticos de Sucesso (FCS) que devem ser observados nos processos de implantação de sistema ERP, conforme diversos trabalhos acadêmicos realizados ao longo de vários anos e compilados nessa tabela.  

Vale destacar o item “reengenharia dos processos de negócio” que é mencionado por diversos autores com um fator crítico de sucesso para o ERP e que gera grandes benefícios à organização. Esse item é parte importante da base do BPM e de onde o mesmo evoluiu e pode ser encontrado especialmente em duas etapas do ciclo de vida: Implantação e Melhorias.

Na etapa de Implantação, a visão de processos é importante, pois são necessárias adptações para que os processos da organização possam ser gerenciados pelo ERP. Já na etapa de Melhorias, a orientação a processos também é importante para que ocorram as melhorias desejadas na gestão da organização, uma vez que o ERP proporciona uma “revisão dos processos”.

Entendo que todo o ciclo de vida e os fatores críticos de sucesso, o processo de implantação, sustentação e melhoria contínua podem ser grandes aliados na gestão eficiente de negócios da sua empresa.

A ConTI conta com profissionais com larga experiência no mercado dos ERPs Datasul, Protheus e RM e pode ajudar a sua empresa.

No próximo artigo vou trazer mais conteúdo sobre ERP, destacando os benefícios de uso. Até breve!!!

Deixe um comentário

Fechar Menu
Close Panel